Obesidade infantil

Casos

Segundo o Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional, cerca de 9% das crianças estão com obesidade e 5% com obesidade grave. Não é muito diferente com os adolescentes: cerca de 18% dos adolescentes estão com sobrepeso. Enquanto 9% sofrem com problemas de obesidade e 3% com obesidade grave. Oito em cada dez adolescentes continuam obesos na fase adulta. A obesidade infantil gera desconfortos e desencadeia problemas físicos e psicológicos. É um assunto sério e que deve ser tratado com prudência.

Sintomas

 A única característica da obesidade infantil é o peso acima do normal.

Causas

  1. Falta de disposição para atividades que exigem esforço físico;
  2. Sedentarismo;
  3. Desequilíbrio alimentar;
  4. Compulsão alimentar;
  5. Ansiedade/Depressão;
  6. Descontrole emocional.

Além do acompanhamento médico, especialistas aconselham dietas como forma de combater a obesidade infantil, além, é claro, de uma boa dieta.

Uma dieta de baixa caloria ajuda na perda de peso e no controle alimentar. Evitar alimentos gordurosos durante a dieta é algo importante a ser seguido. Exercícios físicos contribuem para uma vida mais saudável e feliz.

Atividades físicas, como brincadeiras, contribuem para uma perda de saudável de peso.

Essas atividades são necessárias e dependem do envolvimento dos pais ou responsáveis pela criança, pois ela precisa de motivação.

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde de Goiás

Ansiedade: da insônia aos batimentos acelerados.

O Transtorno de ansiedade generalizada, também conhecido como “TAG” é considerado muito comum, pois tem afligido 2 milhões de pessoas só no Brasil.

Casos

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o transtorno começa a atingir os jovens na faixa etária dos 14 anos, muitas das vezes, acompanha-os para o resto da vida.

Aumentam os casos de jovens sofrendo com o Transtorno de ansiedade generalizada (TAG). Os danos causados pelo transtorno são, muitas das vezes, irreversíveis, eles vão desde a insônia aos batimentos acelerados. Com a pandemia o número de casos aumentou drasticamente, devido ao isolamento social.

Sintomas

O transtorno apresenta diversos sintomas, sejam eles psicológicos ou físicos. Alguns dos sintomas psicológicos são:

  1. Falta de concentração ou pensamentos indesejados;
  2. Ansiedade severa ou medo, preocupação excessiva;
  3. Pensamentos suicidas;
  4. Consumo de substâncias ilícitas.

Já os sintomas físicos são:

  1. Falta de ar
  2. Insônia;
  3. Náusea;
  4. Tremedeira;
  5. Fadiga;
  6. Tontura;
  7. Tensão muscular;
  8. Apetite desregulado.

Malefícios

Aumentam os casos de pessoas deixando o mercado de trabalho, alegando a falta de estabilidade emocional. Casais vêm se divorciando, pela falta de compreensão um do outro, pois nem todos conhecem o transtorno.

Em casos mais graves, o transtorno contribui para o aumento em números de casos de suicídios.

Tratamento

Porém, há tratamentos para o transtorno, desde medicações a terapias.

Algumas terapias são:

  1. Acompanhamento médico;
  2. Psicanálise;
  3. Psicoterapia;
  4. Exercícios físicos;
  5. Relaxamento;
  6. Leitura;
  7. Controle mental;
  8. Terapia cognitivo-comportamental.

Se não tratado adequadamente, o transtorno pode desencadear maiores problemas. Procure, urgentemente, tratamento médico.

Fonte: Hospital Israelita Albert Einstein

O que é acne? Aprenda de uma vez por todas as causas, sintomas e o tratamento desse problema tão comum

A acne é um tipo de lesão que atinge a maioria das pessoas e gera complicações não só físicas, mas também de autoestima e bem-estar. Mas você sabe o que causa, exatamente, esse problema?

O acarretamento da acne é associado ao aumento da produção de sebo nas glândulas sebáceas, que gera uma obstrução dos poros da pele e acaba aumentando a proliferação de bactérias.

Apesar de ser mais comum na adolescência e no início da fase adulta, devido a grande transformação hormonal que ocorre no corpo humano nesse período, a acne pode aparecer em qualquer fase da vida, geralmente ocasionada por eventuais desequilíbrios hormonais.

Sintomas

Os sintomas da acne são o surgimento de cravos, espinhas – que não passam de cravos inflamados – e marcas avermelhadas na pele, principalmente no rosto e nas costas.

Ao perceber tais sinais, é importante que um médico dermatologista seja consultado o quanto antes, a fim de tomar as medidas necessárias para o tratamento.

Tratamento

Apesar do costume popular de espremer os cravos e as espinhas para fazê-los sumir, dermatologistas afirmam que isso não é recomendado e pode até piorar a situação, já que se a lesão for manipulada e a pele não estiver limpa, as bactérias das unhas e mãos podem entrar pelos poros da pele e formar cistos.

O tratamento adequado da acne é feito com acompanhamento médico, já que depende de cada caso, do tipo de acne e das particularidades do paciente a ser medicado.

No geral, recomenda-se a limpeza de pele diária com esfoliantes e outros produtos indicados. Para mulheres, o uso de anticoncepcionais administrados por um profissional pode ajudar no tratamento, já que atua na diminuição da produção de sebo e oleosidade da pele.

Apesar de ser um processo associado à produção hormonal e, portanto, natural do corpo, existem medidas de prevenção ao surgimento da acne, tais como:

  1. Não dormir de maquiagem, já que os resíduos cosméticos obstruem os poros da pele.
  2. Controlar o consumo de gordura, doces e farinha branca, visto que estes estimulam a produção de glândulas sebáceas, aumentando a oleosidade da pele.
  3. Praticar exercícios regularmente, pois minimizam o estresse e os níveis de cortisol, hormônio que em quantidades excessivas contribui para o surgimento da acne.

É importante frisar que, apesar de qualquer recomendação, é sempre importante que um profissional da área seja consultado.

Como se alimentar bem: um guia objetivo para uma alimentação balanceada e nutritiva

Não é segredo para ninguém que se alimentar de maneira saudável e nutritiva é uma das chaves para o bem-estar e a qualidade de vida. Mas como, exatamente, podemos nos assegurar de que estamos tendo uma dieta balanceada? Preparamos um guia que vai indicar o caminho para uma boa alimentação no dia a dia.

Comecemos com o básico: evite excessos ou exclusões e procure quantidades que sejam suficientes para te saciar, mas não para te encher a ponto de causar letargia. Parece simples, mas muitas vezes optamos por pular uma refeição por falta de tempo ou comemos demais por pura gula. Nenhuma das duas opções é saudável. Agora, vamos ao que interessa: o que comer e porquê comer tais coisas.

  • Macronutrientes
    • Proteínas: É a partir delas que construímos músculos, tecidos, cabelos, unhas e outras estruturas celulares. Estão presentes em carnes vermelhas e brancas, grão de bico, quinoa e nozes, por exemplo.
    • Carboidratos: São nossa maior fonte de energia. São encontrados, principalmente, em farinhas, tubérculos e grãos.
    • Gorduras: Além de também serem fontes de energia, as gorduras também mantém a temperatura do corpo e protegem órgãos vitais. Vale ressaltar, no entanto, que se dividem em HDL e LDL, sendo a primeira a gordura boa e a segunda a ruim. Algumas fontes de HDL são o azeite, coco e abacate.
    • Fibras: São responsáveis pelo bom funcionamento do intestino e proporcionam sensação de saciedade, estando presentes em amêndoas, aveia, feijão e outros.
  • Micronutrientes
    • Vitaminas: São essenciais para o funcionamento do metabolismo e podem ser encontradas em grandes quantidades em frutas e verduras.
    • Minerais: Estão ligados a formação dos ossos, regulação dos fluidos corporais e secreções digestivas. Algumas de suas fontes são frutas, verduras e cereais integrais.

Além do consumo balanceado de macro e micronutrientes, é essencial que evitemos frituras, já que elas vêm carregadas de gorduras ruins.

Os alimentos industrializados também devem ser evitados, pois são na maioria das vezes compostos por substâncias nocivas ao nosso organismo, como corantes e conservantes, além de grandes quantidades de sódio e açúcares.

Ter horários para se alimentar também é importantíssimo, já que faz com que o nosso corpo se acostume a fazer o processo de digestão em determinados horários e consiga fazer isso de maneira mais eficiente.

Manter uma alimentação saudável vai, além de proporcionar bem-estar, prevenir diversas doenças que poderiam ser desencadeadas por uma dieta ruim, tais como hipertensão, diabetes, colesterol alto, gastrite, obesidade e muitas outras.